Coaching para advogados (parte 3)

O problema da nossa formação acadêmica

advogado-7

Quando lembro da minha grade de estudos da saudosa PUC Minas, não consigo me recordar de nenhuma matéria empresarial que não fosse Direito Comercial, ainda que com outras “alcunhas”.

O mais interessante é que, à medida que o escritório crescia, eu tinha as mesmas obrigações que meus clientes pessoa jurídica: pagar salários, pagar impostos, gerir equipes, prospectar clientes…

É por essas e outras que o advogado, especialmente “dono” de escritórios um pouco maiores, passam um aperto enorme quando se veem na condição de empresários. Sim, o advogado é um empresário/empreendedor, embora não tenhamos ouvido isso de ninguém na faculdade.

Justamente neste aspecto o Coaching foi muito rico para mim, quando tive a oportunidade de pensar em pontos que todos os estudantes de administração conhecem nos primeiros períodos da faculdade, mas que ninguém nos ensina:

– Comercialização para novos clientes;

– Networking e marca pessoal;

– Gestão de marketing do escritório;

– Planejamento de carreira;

– “Gestão” de tempo;

– Gestão de pessoal;

– Equilíbrio de vida e controle de stress.

Saiba que o coaching ajudou-me muito em todos estes aspectos. Entre em contato e também se beneficie das vantagens de um processo com ótimo custo x benefício!