Pesquisas neurocientíficas indicam ação da gratidão no cérebro

O poder da gratidão vai além do bem-estar emocional, ativando e fortalecendo o cérebro. É o que diz um estudo feito pela University of Southern Califórnia que examinou as atividades cerebrais de voluntários que assistiram vídeos de sobreviventes do Holocausto no momento em que estes relatam ter recebido ajuda como abrigo, comida, roupa e suporte emocional. Os participantes foram orientados a se colocarem no lugar das vítimas, imaginando-se vivendo na mesma situação e recebendo ajuda. Os resultados mostram que as regiões do córtex cingulado anterior e a do córtex pré frontal medial em ambos os hemisférios cerebrais dos voluntários tiveram variações em suas atividades.

“Essas regiões do cérebro estão relacionadas com o processo emocional da recompensa, ou seja, elas são ativadas quando somos recompensados por algo e também quando nos sentimos gratos. É como se houvesse uma ponte entre os circuitos do cérebro ligando a cognição moral e a emoção positiva que acompanha a experiência da gratidão”, segundo comentários sobre a pesquisa.

O que os estudos do gênero sugerem é que quanto mais se pratica a gratidão, mais o cérebro se adapta a essa mentalidade, como se fosse um músculo sendo exercitado continuamente e por isso se torna cada vez mais forte. Quanto mais se pratica a gratidão, mais esse sentimento se torna espontâneo em nossas vidas, lembrando que a gratidão é uma habilidade que pode ser aprendida a todo e qualquer momento, independente de cor, credo, estilo de vida ou filosofias morais e é um aspecto comum da interação social.

Importante salientar, entretanto, que a aplicação da palavra gratidão vai além do simples uso da mesma em situações que demonstram apenas sinais de educação ou reconhecimento por ter recebido algo de valor de outras pessoas. Muitas vezes dizemos obrigado apenas como protocolo, sem realmente pregar o verdadeiro valor da mesma. É muito fácil estarmos gratos quando estamos felizes. No entanto nos sentirmos gratos nos momentos de adversidade não é tarefa fácil.

Muitas pessoas têm expectativas altas sobre o que pode acontecer em suas existências e são gratas apenas pelas coisas boas que acontecem. Nesse caso, a felicidade para essas pessoas é diretamente proporcional aos acontecimentos positivos que ela experimenta. Todavia, essas pessoas não conseguem observar que tudo o que ela teve ou tem na vida teve o envolvimento de muitas pessoas envolvidas no processo. Por exemplo, você tomou banho hoje? Pegou o ônibus ou seu carro para se locomover? Agradeceu por ter água para tomar banho? Agradeceu ao motorista de ônibus que estava ali trabalhando para te servir? Todas essas perguntas podem parecer tolas no contexto geral, mas elas contribuem muito para implementação de uma gratidão efetiva na nossa existência.